24 de maio de 2011

Tempos de Confusão

Urizen - Placa de William Blake
S.S.Shri Mataji Nirmala Devi - Confusão: A Escravidão Sutil, Birmingham, Inglaterra,09 de julho de 1982

"Temos que compreender que os tempos modernos são os tempos de confusão. Vocês não sabem o que querem. Vocês não sabem o que querem perguntar. Vocês não sabem se o que estão fazendo está certo ou errado. A confusão é necessária. Sem a confusão, nós não ficamos desesperados. Sem o desespero, nós não buscamos. Mas a confusão só é visível quando uma pessoa alcança uma certa área da consciência ou, podemos dizer, um grau de consciência.

Hoje, nestes tempos modernos, nós temos um tipo muito sutil de escravidão que está nos devorando a cada dia, que é tão autodestrutiva que nós não temos nem mesmo consciência dela. E nós somos destruídos. Essa destruição está atuando de tantas formas que, se nós realmente não despertarmos para a Verdade, há uma possibilidade de não restar nada desta Criação.

Existem pessoas que dão grandes palestras. Eu tenho Me encontrado com muitas pessoas importantes das Nações Unidas e de todas essas grandes agências. Elas falam sobre a destruição iminente, o choque do futuro e que isso irá acontecer, eles escrevem livros, livros volumosos. Eles discutem. Eles estão na rua, eles discutirão. Eles estão em um bar, estão discutindo. Eles estão em uma festa, estão discutindo. Mas eles não se dão conta do que isso significa. Essa destruição é um tipo de destruição que nunca aconteceu antes. Porque essa destruição está vindo de dentro e não de fora. Nós atingimos uma certa profundidade em nossa consciência e se nós não tocarmos a fonte de nossa sustentação, essa destruição irá se realizar.


 Você é criado como um ser humano com um propósito. Nós devemos refletir. Todos os cientistas devem pelo menos uma vez perguntar: “Por que? Por que nós fomos criados como seres humanos? A partir do estágio animal, por que nós chegamos a este estágio? Qual é a razão?” Essa pergunta está inserida no inconsciente de cada buscador hoje. É desse modo que nós temos tantos buscadores em todo o mundo. E esses buscadores estão apenas tentando descobrir porque estamos aqui. Alguns deles encontram uma resposta, às vezes, em algum bem-estar material. Por exemplo, nossas greves hoje em dia. Estradas de ferro. Bem, é uma visão muito estreita de toda a coisa, uma visão muito estreita. Vocês querem ter salário maior? Tudo bem, tenham. Depois, e daí?
...

Nosso senso de honestidade e tudo mais é tão superficial, é tão superficial. Para nós, honestidade significa: “Se você me der cinco libras, eu devolverei cinco libras para você.” Está feito, acabou-se, é honesto. Tudo é tão superficial. É por isso que nunca conseguimos ficar satisfeitos, mesmo se você ganhar 10% a mais de salário ou 20% a mais de salário, você não ficará feliz. Acreditem em Mim. Coisas materiais não nos dão felicidade, nunca. Mas, Eu não digo que nós não precisamos de coisas materiais. Nós precisamos de coisas materiais. Mas a matéria é como uma taça que tem o néctar nela.

Se você está com sede, você não pode beber algo de uma taça vazia, nada. Pode ser uma taça de ouro, o que importa? Faz diferença para você? Você precisa ter algo para saciar a sua sede e a menos e até que essa sede seja saciada, você não será feliz. E o que é essa sede? É isto: você ainda não conheceu a si mesmo. É uma sede muito inconsciente. Ela surge, você não sabe o que está procurando, você não sabe por que está infeliz, você não sabe o que você quer. Este é o inconsciente que está trabalhando.

Todas as coisas vivas são criadas por este Poder Divino. Os seres humanos não conseguem criar nada que esteja vivo. O que eles conseguem fazer é algo que está morto ou morrendo. Como, por exemplo, as greves são uma coisa morta. O que nós podemos fazer é criar algo como uma mesa, uma cadeira, se a árvore estiver morta. Nós não estamos fazendo nada além de trabalho morto. E essas coisas mortas nos dominam porque formamos hábitos. Nós formamos hábitos. Com esses hábitos, essa matéria senta sobre nossas cabeças. E o Espírito, que é algo vibrante, que é a fonte, que é algo que controla, torna-se adormecido, inativo.

Esta força adormecida, se de algum modo se torna iluminada e nossa atenção se torna iluminada, nossa atenção se torna iluminada, nós nos tornamos uma pessoa diferente. Nós nos tornamos um yogi. Nós nos tornamos uma pessoa que está unida com Deus. Para isso, você não tem que vestir roupas esquisitas. Não faz nenhuma diferença qual tipo de roupa você veste. Não faz nenhuma diferença como você penteia o seu cabelo ou qual tipo de comida você come. É algo tão interno, não tem nada a ver com essas coisas externas.

Todas as nossas idéias, até mesmo sobre caridades e sobre sermos gentis com os outros e todas essas coisas, são muito superficiais. Quando você se torna a luz, quando você se torna a compaixão, quando você se torna o amor, então você não tem que dizer para si mesmo, de forma alguma. Você não tem que argumentar. Você simplesmente se torna. Simplesmente flui. A compaixão flui, ela atua. Você não tem que argumentar sobre isso, você não tem que falar para si mesmo: “eu devo ser compassivo, eu devo ser gentil”, você simplesmente se torna.
...
Como Adi Shankaracharya, no ponto que ele alcançou, ele escreveu sobre Viveka Chudamani e todos esses tratados e depois ele desistiu e começou a descrever a Mãe. Ele disse: “eu desisto. Isso é tudo.” E eles disseram que ele foi intelectualmente maleável, porque ele não conseguia ir em frente com suas filosofias, então ele começou a louvar a Mãe. Ele disse: “O que está errado?”

“Mãe, colocando poster, essas pessoas sabem a respeito da Senhora, que a Senhora existe.” Eu disse: “Tudo bem, tudo bem.” Nós falamos com eles, nós passamos a mensagem. Agora, se eles vierem, muito bem.

Este é o nosso trabalho: informar. Se eles vierem, se eles obtiverem a Realização, muito bem. Se eles se estabilizarem, melhor ainda. Nós trabalharemos duro para isso, mas nós não podemos forçar isso. Nós não podemos forçar isso. Nós não podemos ter nenhuma forma artificial de impressioná-los. Como, por exemplo, não podemos fazer disso um circo. Vocês têm que ter a sensibilidade de sua própria compreensão da importância disso e a sua inteligência pura deve lhes dizer que isso é o principal, o importante. Pelo contrário, nós não podemos cair aos seus pés e dizer: “Oh! Por favor.” Nós não podemos implorar, nem podemos ir contra a liberdade que lhes foi dada. É em sua própria liberdade e em sua própria glória que vocês têm que ascender, porque vocês são a essência, vocês são a quinta-essência desta Criação.

Eu espero que vocês tenham compreendido o que Eu disse. Mas argumentações não irão lhes dar a Realização. Isso tem que acontecer. Não importa, você pode ser um príncipe ou pode ser um rei ou pode ser qualquer coisa, não faz nenhuma diferença. É o seu acontecimento pessoal que tem que ocorrer. Esta é a sua Mãe individual dentro você. Isso é o Ruh sobre o qual Eu estou falando. Apenas pelo ritualismo, vocês não podem alcançar Deus, vocês têm que estar conectados com Deus. Para todas as pessoas do mundo que compreendem e que pensam que é importante saber que deve haver uma verdade a qual podemos concretizar, isso foi prometido em todas as religiões e escrituras e tem que acontecer."