8 de dezembro de 2014

2 de setembro de 2014

Navaratri com Shri Mataji


1. Dia : Pratipada: Shri Ganesha é homenageado e é observado como dia de silêncio (playlist
2. Dia: Dvitiya: O Devi Suktam é recitado e a Deusa Mahakali é venerada (playlist) (Vimeo)
3. Dia: Tritiya: Recitação do Kavach da Devi - primeira parte. (playlist) (Vimeo)
4. Dia: Chaturthi: Recitação do Kavach da Devi - segunda parte (playlist) (Vimeo)
5. Dia: Panchami: Recitação dos Hinos de Argala, expressando o amor a Shri Jagadamba. Nesse dia oramos para o completo equilíbrio e a estabilização de nossa Realização do Si. (playlist) (Vimeo)
6. Dia: Shasthi: Nós veneramos a Shakti (playlist) (Vimeo)
7. Dia: Saptami: Versos do Durga Saptashati são lidos (playlist) (Vimeo)
8. Dia: Ashtami: Veneração de Shri Mahalakshmi (playlist) (Vimeo)
9. Dia: Navami: O asura é morto nesse dia (playlist) (Vimeo)
10. Dia: Vijaya Dashmi (Shri Ram Dussera): Hoje é o dia da Vitória. Celebramos também o Festival Dassera, quando Shri Rama destruiu o demônio Ravana. (playlist) (Vimeo)

29 de junho de 2014

Puja do Guru com Shri Mataji

O próprio Guru


Trecho do Discurso do Puja do Guru, em Cabella, Itália, em 28 de julho de 1991.


Rigor:
"...O princí­pio do Guru é extremamente rigoroso, e o rigor fez com que muitas pessoas não pudessem se adaptar aos ideais de um discí­pulo. Naqueles dias, o Guru tinha que ser, sem dúvida, a autoridade, e era o guru quem decidia quais discí­pulos ele teria. E a pessoa tinha que fazer uma grande tapasya, grandes penitências, até mesmo para tornar-se um discí­pulo. E essa provação era a única forma que o Guru usava para julgar.

Os Gurus sempre viviam nas florestas e eles selecionavam seus discí­pulos, que eram muito poucos, muito, muito poucos, e eles tinham que ir mendigar comida nas vilas vizinhas, e cozinhar para o guru deles com suas próprias mãos, e alimentar o guru. Esse tipo de coisas de guru não existem na Sahaja Yoga. Basicamente, nós temos que entender que a diferença entre aqueles estilos de agir do guru e o que temos hoje é este: era dada a muito poucos indiví­duos, a chance de se tornarem o guru, a muito poucos. E esses poucos também eram selecionados dentre muitas pessoas e eles sentiam que eram realmente especiais por terem sido selecionados, escolhidos, e seja o que for que eles tivessem que passar, seria tudo bem-vindo.

A Chave

“A Sahaja Yoga se prova por si mesma. Ela não precisa da sua ajuda. Se há Verdade, então vocês melhoram (a si mesmos) por aceitar a Verdade. Sua posição se eleva, não a posição da Verdade.”

Shri Mataji Nirmala Devi no discurso realizado no Seminário da Sahaja Yoga em Bordi Shibir, Maharashtra, Índia (27 de janeiro de 1980)

Soundcloud

Nota de Sahaja Yogi: Anavopaya seria mais um movimento de negação ou discriminação de fora para dentro e Shaktopaya seria um movimento completamente afirmativo e integrador de dentro para fora, onde Nirodha opera internamente, espontaneamente.


“A Sahaja Yoga não é para Mim, absolutamente, Eu não tenho de praticá-la. Vocês é que devem praticá-la e ganharem conhecimento do que é o seu Si. A única coisa que posso fazer é Shaktipath. Mas realmente nem isso Eu faço, lhes digo. Eu nada faço, estou apenas parada quieta. É simplesmente gerenciado , o que posso fazer? É a Minha natureza. Simplesmente flue. Funciona dessa maneira” (…)