1 de dezembro de 2008

Meditação e o Ser Interior

Agora nós entendemos, a essa altura, que dentro de nós reside a paz, a beleza, a glória de nosso ser. Existe um oceano de tudo isso. Não podemos buscar externamente, precisamos ir para dentro, o que se chama de estado meditativo, vocês buscam e regozijam isso. Como quando estão com sede, vocês vão a um rio ou ao oceano e tentam satisfazer sua sede. Mas, mesmo o oceano não pode lhes dar água doce. Então, como é que algo externo tão extenso pode lhes dar algo profundo que está dentro? Vocês estão tentando encontrar fora, onde isso não está. É dentro de nós, absolutamente interno. É muito simples porque é sua propriedade, está ao seu alcance, logo aí. Seja o que estiverem fazendo, saindo para encontrar a alegria, a tão chamada alegria, a tão chamada felicidade, a tão chamada glória dos poderes e possessões mundanos; vocês têm que reverter todo esse movimento, têm que se projetar para dentro de si mesmos. Não está errado nem certo vocês terem buscado fora, não devem se culpar por seja o que tiverem feito até agora. Não era a forma correta de conseguir a alegria real da vida, a glória real de seus seres. Isso (o estado meditativo) funciona em tantas pessoas, que entraram naquele entendimento sutil (de tudo). Alguns estão somente no nível mental talvez, não importa. Pode ser que outros só percebam isso no nível físico, não tem problema. Mas, vocês estão nos caminhos corretos, estão se movendo corretamente.

Tentem meditar, meditem mais, de modo que alcancem o ser interior. E esse ser interior é o vasto oceano de bênçãos, que existe em cada um de nós. É aquele vasto mar glorificador de luz que inunda a beleza interior de todos. E para chegar a isso, vocês têm que ir para dentro de si mesmos, negando coisas que são contra isso, contra este movimento. Algumas vezes, o vento pode ser muito, muito forte, no sentido de mal entenderem que a glória divina está dentro. Então, voltem-se para trás: a todo momento lembrem-se que seu movimento tem que ser para dentro. Quando se movem internamente, vocês esquecem as idéias de suas glórias externas. (...)

Quando vocês meditam, realizam uma jornada individual em direção a Deus e quando alcançam, então se tornam coletivos. Antes disso, é uma jornada absolutamente individual interna, uma jornada absolutamente individual. Vocês têm que ser capazes de ver isso. Vocês estão nessa jornada, ninguém é seu parente, ninguém é seu irmão, ninguém é seu amigo, vocês estão absolutamente sós, absolutamente sozinhos. Vocês têm que se mover sozinhos dentro de si mesmos. Não odeiem ninguém, não sejam responsáveis (por ninguém), pois no estado meditativo vocês estão sós. Não existe ninguém lá, vocês estão sós e uma vez que entrem naquele oceano, então todo o mundo se torna sua família. Todo o mundo é sua própria manifestação. Toda a expansão acontece quando vocês entram dentro de seu Espírito e vêem, a partir dos olhos do Espírito. Tal calma, tal paz, tal benção existe dentro de vocês. Precisam estar preparados para essa jornada.

Vocês fazem essa jornada sozinhos no estado meditativo e quanto mais encontrarem coisas em suas meditações, mais quererão ter e distribuir para os outros. Isso tem que acontecer, pois se não vier a vocês, então isso não se realizou, não há pureza, existe algum tipo de distorção. Nessa procura individual, seja o que encontrarem, vocês quererão regozijar com os outros, quererão dar aos outros. Esse é o sinal que uma pessoa está realmente meditando. Aquele que é meditativo e não é capaz de distribuir o que encontrou, está enganando a si mesmo e aos outros também. Porque aquela alegria que vocês recebem na meditação tem que ser distribuída, tem que ser dada, tem que ser mostrada. Isso deve fluir em seus seres como a luz irradia de qualquer lâmpada acesa. Não precisamos fazer um voto para dizer "isso é uma lâmpada acesa", da mesma forma, um santo não precisa ser certificado de que é santo. A profundidade que vocês alcançam internamente, irradia-se em todas direções, tal como uma ação e reação. Quanto mais profundo vocês forem, mairo será a radiação. Uma pessoa simples, uma pessoa muito simples, sem estudos, pode ser assim. (...)

A menos e até que vocês se tornem profundos, não poderemos salvar outros sahaja yogis nem os que não são sahaja yogis. Vocês têm que crescer mais alto e mais alto para suspender toda a cortina. Aqueles que tentam subir mais alto, puxam tudo para cima e dão uma puxada em todos que ascendem com eles. Então, tentem manter seus objetivos bem claros. Vocês têm que entender qual é o objetivo na vida como sahaja yogis. Agora vocês são pessoas mudadas. Não são pessoas que precisa lidar com posses ou se preocuparem com elas, com coisas mundanas, com o sustento (meio de vida). Não são mais pessoas que precisam se preocupar muito com a saúde e coisas de suas vidas pessoais. Também não precisam se preocupar muito com seus empregos, isso não é importante e, por último de tudo, não se preocupem com a família, filhos, marido, esposa - e acharem uma situação para esconderem-se atrás. Porque a única coisa na qual vocês podem realmente podem ser esconder é o amor de Deus, no qual vocês podem realmente ter grande descanso, bênção, sentimento de completa proteção.

Sydney fez muito bem e tem progredido melhor, mas o ritmo não é como deveria ser. Então, temos que pensar em novas maneiras e métodos de como podemos expandir isso (a Sahaja Yoga). Mas, antes vocês têm que assumir suas posições tais como são. Têm que assumir que todos são santos, que têm que fazer um grande trabalho - não a parte do ego, mas a manifestação disso. Cada um de vocês tem que decidir por si mesmo. Eu tenho certeza que isso vai funcionar e este tempo de Minha visita vai ajudá-los muito a entender o que é melhor (a fazer) para expandir essa luz para todos os lugares.

Possa Deus abençoá-los.

S.S.Shri Mataji Nirmala Devi, excertos do discurso Shri Devi Puja, Sydney, Austrália, 14/3/83. Texto original