28 de junho de 2011

Abraão

Mas o Anjo lhe disse: "Não faças nada a ele,
  eu sei agora que tu temes a Deus".

 Abraão é um dos Mestres Primordiais do Void esquerdo.


"Então,  o anjo do Eterno o chamou dos céus,  e lhe disse: "Abraão!  Abraão!  e ele respondeu: eis-me aqui"!


Cerca de 2 000 anos antes de Cristo,  Abraão,  descendente de Noé,  vivia com sua tribo no vale do Eufrates,  na Mesopotâmia,  com seu rebanho.  Ele  tinha já 75 anos,  quando Deus ordenou que ele partisse com sua família para o país de Canaã,  onde viviam pequenas tribos de politeístas e de idólatras.  Sua mulher Sara e seu sobrinho Lot acompanharam-no na viagem.  Ele não tinha filhos.

Deus anunciou a Abraão que ele teria um filho.  Efetivamente,  um filho nasceu de sua serva Agar,  e foi chamado de Ismael (o qual é considerado o ancestral dos árabes).  Deus anunciou-lhe a realização de uma aliança: "Tu serás o patriarca de um conjunto de nações".  No entanto,  foram necessários 400 anos para limpar o país(do culto de Moloch e dos sacrifícios de crianças) e para que seus habitantes atingissem o ápice da integridade.  Deus exigiu a circuncisão como marca permanente dessa aliança.

Lot residia em Sodoma quando dois anjos vieram visitá-lo.  Como os habitantes da cidade ameaçavam corromper a casa de Abraão,  relacionando-se com os belos estrangeiros,  Sodoma foi destruída pelo fogo do céu.

Abraão tinha 100 anos quando Sara,  sua esposa,  deu à luz a Isaac.
Depois de alguns anos,  Deus exigiu de Abraão: "Pega teu filho,  teu único filho que tu amas e leva-o ao país de Moria,  onde tu o oferecerás em holocausto".  Lá,  ele se armou de uma faca para cortar o pescoço de seu filho,  mas o anjo do Senhor lhe disse: "Não faças nada a ele,  eu sei agora que tu temes a Deus..." (vide Gênesis 22).

Por acaso,  havia,  num local próximo,  um carneiro com os chifres presos num arbusto,  e Abraão pôde oferecê-lo em sacrifício na companhia de Isaac.  Era o dia da Páscoa.  "Eu te abençoarei,  eu multiplicarei tua prosperidade como as estrelas do céu..."

Isaac teve dois filhos Jacó e Esaú.  Uma geração mais tarde,  os hebreus perseguidos pela miséria partiram para o Egito.

Abraão criou um povo original,  que adorava um Deus único,  criador do céu e da terra,  eterno,  onipresente,  onisciente,  todo-poderoso e real,  ao qual se podia  oferecer tudo.  É a primeira aparição do monoteísmo,  enquanto religião.

Abraão foi o pai das três grandes religiões mundiais (judaísmo, cristianismo e islamismo).

Abraão foi um exemplo de virtude, retidão, humildade e total entrega a Deus. Ele sairia correndo de sua tenda a fim de cumprimentar os viajantes na estrada cheia de poeira, convidando-os a entrar em sua própria tenda e comer “um bocado de pão”. Abraão tratava os viajantes como se eles estivessem honrando a sua tenda com a visita deles. Assim, de uma maneira grata, o profeta recebia os seus hóspedes como jóias surgidas do céu.

“1. Depois apareceu o Senhor a Abraão, junto aos carvalhos de Manre, estando ele sentado à porta da tenda, no maior calor do dia.
  2. Levantando Abraão os olhos, olhou e eis que havia três homens de pé em frente dele. Quando os viu, correu da porta da tenda ao seu encontro e prostrou-se em terra,
  3. e disse: Meu Senhor, se agora tenho achado graça aos Teus olhos, rogo-Te que não passes de Teu servo.
  4. Eia, traga-se um pouco d’água, e lavai os pés e recostai-vos debaixo da árvore;
  5. e trarei um bocado de pão; refazei as vossas forças, e depois passareis adiante; porquanto por isso chegastes até o vosso servo.” (Gênesis 18, 1-5)

O nome de Abraão foi modificado por Deus e significa ‘pai de muitas nações’. Os detalhes da vida de Abraão podem ser encontrados na Bíblia no Livro de Gênesis.


Fonte : Apostila do Void da Sahaja Yoga