10 de março de 2013

Sem Organização




Original do AZ em inglês
Conselhos de S.S.Shri Mataji Nirmala Devi

A política divina é de tal forma que na Sahaja Yoga não há organização. Nós não temos uma secretaria, escritórios, nada disso. Simplesmente funciona. Nós nada temos de fazer porque existe a consciência coletiva. Nós todos estamos conectados uns com os outros. Isso apenas funciona.
Conferência VIP, 15 de junho de 1999, Nova York, EUA

Não são as regras e os regulamentos que os manterão felizes e unidos, mas sim a pura consciência coletiva e o seu amor. Porque como vocês sabem, não temos organizações próprias, nem clero, nada assim. Os líderes também podem ser substituídos mais vezes do que o Rio Ganges pode alterar seu curso. Assim, não há nada como isso.
Puja do Sahasrara, 04 de maio de 1997

Algumas pessoas tem anseio por dinheiro, outras pensam que podem fazer dinheiro ao vir para a Sahaja Yoga, outras pessoas pensam que tornar-se-ão líderes ou terão fama, umas pensam que alcançarão um tipo de posição muito dominante e algumas pensam que podem me enganar. Já é tempo de perceber que a intenção da Sahaja Yoga não é essa. A Sahaja Yoga é para fazê-los as mais sábias, as mais sãs, as mais generosas e as mais confiantes pessoas do mundo, porque vocês têm de lutar contra a ignorância sombria da Kali Yuga, de eras precedidas e que hoje nós vemos todos os efeitos negativos delas. Como vocês sabem, nós não temos organizações, nem associações, nada. Mas uma coisa nós temos: o conhecimento de que somos almas realizadas, que sabemos mais do que os outros e que nós não ficamos orgulhosos por isso. Nós somos pessoas humildes.
Puja de Natal,25 de dezembro de 1988

A educação espiritual na Sahaja Yoga, sob Shri Mataji Nirmala Devi, fica absolutamente por conta de sua própria sabedoria. Não existe obrigação nem coação; não há organização. São vocês que têm de sentir a alegria de seu espírito e são vocês que tem de compartilhar isso com os outros. São vocês que têm de elevar a Kundalini dos outros.
Aniversário do Guru Nanak, 23 de novembro de 1980

Eu espero [...] que a Sahaja Yoga dê certo e que vocês  se aprofundem nesse organização viva. Esta é uma organização viva, a qual não tem filiação, nem pagamentos, nada. É algo vivo e as pessoas sentir-se-ão atraídas por causa do amor que elas sentem umas pelas outras e pelo amor que elas sentem por si mesmas. Isso é tudo. Uma vez que vocês obtenham as vibrações, essas puras vibrações de amor divino, vocês não quererão abandoná-las. Vocês simplesmente não quererão perdê-las. Elas são tão belas. Possa Deus abençoá-los.
O Oceano de Amor, Hampstead, Londres, 25 de junho de 1981




O que aconteceu antes:

Sabem muito bem como Cristo morreu e quais as pessoas que surgiram logo após a Sua morte, como Pedro e Paulo, que tentaram fazer um grande comércio de tudo aquilo. É muito triste constatar como essas duas pessoas trouxeram essa vergonha. Paulo não era ninguém, mas apenas um organizador. Ele era não apenas um burocrata, mas queria alcançar uma posição muito importante. Paulo inventou a mentira de que havia visto uma grande cruz em seu caminho para Damasco. Segundo a Sahaja Yoga, todas essas visões e sinais são manifestações do supraconsciente e não têm a sua origem no Espírito. Ele retornou e começou a fazer a sua própria pesquisa e escreveu muitas coisas. Quando lêem o que ele escreveu descobrem que ele era um organizador e não um Sahaja Yogi. Ele era uma personalidade burocrática que escrevia sobre a maneira pela qual as coisas deveriam ser administradas, como era preciso ter vários tipos de pessoas e como controlar essas pessoas. Ele foi uma espécie de ‘Chefe de Departamento de Administração’ para os cristãos.

 Por isso, os cristãos tornaram-se muito preocupados com as formalidades, vale dizer, tudo deve ser feito em seu devido tempo, as pessoas devem chegar de certa forma, devem sentar-se de certo modo e devem falar de determinada maneira. As nações que se supõe ser cristãs adotaram essas praxes de uma maneira muito oficial. Não se pode compreender por que razão elas adotam tantas formalidades. Tudo isso é o oposto daquilo que Cristo preconizou ao abrir o Agnya. As pessoas distorceram a Sua mensagem ao criarem todas essas formalidades e as nações cristãs tornaram-se as mais arrogantes e as mais agressivas do mundo todo. Elas achavam que tinham o direito de ocupar qualquer território e adotar as suas próprias leis, ou Eu diria, o seu sistema legislativo. Tudo isso foi feito na Índia. Até hoje, se forem para lugares como o Punjab, encontrarão pessoas que vivem de modo rústico, que trabalham duramente e que são atacadas, constantemente, por exploradores que as dominam e que querem extrair o máximo de vantagens delas. É algo muito ridículo os cristãos se comportarem dessa maneira.

Toda essa situação de Cristo faz-Me ficar muito nervosa. Hoje, vocês são Sahaja Yogis. São mais elevados do que os outros e têm todos os poderes. No entanto, se quiserem comportar-se como cristãos, não sei o que farão. Estamos numa situação em que a Sahaja Yoga é aceita em diferentes países e na qual os outros respeitam os Sahaja Yogis. Algumas posições lhes foram dadas e então, subitamente, esse poder de negociar pode subir-lhes à cabeça e podem querer transformar-se em déspotas. Isso ocorre porque faz parte da natureza humana e não se trata de algo divino. Por exemplo, no reino animal é permitido que os animais sejam agressivos uns com os outros. Há um sistema, existe uma maneira, há um método de dominação. Sem motivo, os animais não saltam em todo mundo. Tenho visto na Sahaja Yoga que muitos indivíduos que se tornam líderes começam a controlar todas as pessoas. Quando esses indivíduos não se tornam líderes, eles escrevem-Me muitas cartas dizendo que querem ser líderes:“Mãe, quero ser líder”. Alguns insistem muito nisso. Para que querem ser líderes? Apenas para dominar os outros. Todavia, essa propensão a dominar os outros não é adequada à Sahaja Yoga.
Puja de Páscoa, 19 de abril de 1998, Istambul, Turquia