10 de abril de 2013

A Mãe Terra e as Mulheres



Trecho do discurso proferido por Sua Santidade Shri Mataji Nirmala Devi no ashram de Surbiton em 21 de agosto de 1983, Reino Unido

…diremos alguma coisa sobre a conexão da Sahaja Yoga com a Mãe Terra. É muito importante que nós entendamos o valor da Mãe Terra. Ela tem sido muito gentil com vocês todos. Ela tem sugado suas vibrações. Ela tem dado a vocês tudo que vocês veem ao redor. Assim, hoje nós temos de entender a conexão e a expressão simbólica da Mãe Terra dentro de nós mesmos.


Kundalini, Kumbha, Muladhara, Mãe Terra:

Eu disse anteriormente a vocês também que a Kundalini, que tem três voltas e meia, está alojada no osso triangular. Essa morada da Kundalini é chamada de Muladhara e é representada nesse universo como a Mãe Terra. Ou no puja é representada como a Kumbha
Até agora, no movimento de nossa consciência, nós temos tentado entender Deus Todo-Poderoso e todos os outros cinco elementos que nós consideramos importantes. E também, a consciência tem se movimentado em direção ao entendimento de todos os outros quatro elementos, menos a Mãe Terra. Isso teve de ser assim porque, a menos e até que o entendimento de todos esses quatro elementos seja trazido para um certo ponto, a Mãe Terra não pode expressar a si mesma. Seria como se todos os nossos chakras, quatro chakras, estivessem bloqueados, vocês não poderiam subir a Kundalini, vocês não poderiam dar a Realização do Si. Vocês não poderiam ter um processo de evolução em massa. 

Por isso é que nós tivemos yagyas, todos os outros métodos de excitar os quatro elementos. Eles veneravam a água, o céu, o firmamento, a luz. E foi assim que eles chegaram à época de Cristo, quando a luz era venerada.

Expressão Feminina da Vida:
Mas hoje, quando nós estamos nessa Sahaja Yoga moderna, nós estamos realmente no nível da Mãe Terra, porque esta é a Era de Aquário. E Aquário é o mesmo que Kumbha –  a Mãe Terra. Assim nós estamos no nível da Mãe Terra. Vocês podem também ver na consciência dos seres humanos. Eu não estou dizendo somente os homens, mas mulheres também. A consciência está se movendo na direção da expressão feminina da vida. 

Kumbha

Mulher masculina:

Mas, como os seres humanos são assim tão estúpidos, as feministas tem sido também muito estúpidas, pois elas estão lutando no nível da racionalidade, da economia, da política – todas essas coisas inúteis. A igualdade em todas essas coisas, se ela tiver de ser buscada, vocês se tornam homens, vocês ficam apenas iguais aos homens.Se vocês são argumentativas, racionais, se vocês falam como um homem, isto é uma masculinidade estúpida. 

Não há utilidade em competir com os homens em sua estupidez, a quantidade de estupidez que foi criada para nós já é bastante suficiente. O mundo todo está hoje expressando essa insensatez – a competição, a agressão, a opressão. 

Deusa Mãe:
Assim o outro lado da mulher, chamado de o lado dominado, o lado escuro, o oprimido, tudo isso tem de se expressar de um modo diferente. O modo todo, o estilo, tem de mudar. Vejam agora o Cristianismo, até o Judaísmo, qualquer religião, mesmo o Hinduísmo e todos, mas ocorre mais no Cristianismo, surpreendentemente eles não tem lugar para Maria. E os muçulmanos até reforçaram isso ao anular Fatima. 

E no topo disso, vocês verão que entre os cristãos, a ordenação não é concedida às mulheres, embora Cristo não tenha nascido de um homem. Mas isso não quer dizer de maneira alguma que vocês compitam com homens em seus empreendimentos ridículos, pelos quais eles trouxeram praticamente esse mundo para um estado tão arruinado. 

Assim, hoje nós temos de entender que é o tempo das qualidades maternais se desenvolverem. Mesmo um homem, quando se torna maternal, revela-se um grande homem. Como Cristo, quando Ele tinha compaixão, era chamado de santo. Assim a qualidade da mulher como a Deusa Mãe é sempre como uma Mãe, e Ela é o poder mais importante para dar ignição à Sahaja Yoga.
...
O Útero é receptivo e compassivo:
Do mesmo modo, em uma mulher, o útero da mulher é a Kundalini. O que é o útero? Se isso é a Kundalini, isso expressa a Kundalini grosseiramente, significa que a Mãe Terra é também como o útero. O que faz esse útero? Ele recebe o esperma. É apenas um ato frívolo do homem ou, você pode dizer, apenas uma agressão, e Ela nutre isso e cuida disso, corrige isso e permite que ele cresça.Isso não é feito de uma maneira agressiva, mas de uma maneira muito compassiva e sensível, até que seja expelido quando está desenvolvido. Assim o conceito de útero é que a sua expressão é de tal maneira que ele não domina. Ele não domina o embrião. Se ele dominasse, como ele poderia crescer? Assim ele o nutre e o cria.

Isto é o que é a Sahaja Yoga hoje. Agora, a Mãe Terra é aquela que é simbolizada dentro de vocês como o Muladhara, simbolizada como a Adi Shakti, aqui sentada diante de vocês para nutri-los, para fazê-los crescer em novas personalidades, em personalidades maduras. Esse conceito nós precisamos entender. Assim as mulheres do ocidente precisam entender que as ideias insensatas que têm tirado dos homens precisam ser completamente descartadas, elas têm de se tornar mulheres. Essas mulheres que estão falando como homens, nunca poderão ajudar na Sahaja Yoga. Elas têm de ser como essa Mãe Terra, que permite a vocês fazerem o que quiserem com Ela. Quero dizer que vocês, seres humanos, tem sido tão estúpidos em explorá-la ao máximo, não somente, mas também Ela suporta muita insensatez sobre si. 

Mãe Terra furiosa:
Mas aí vem um momento no qual Ela se torna explosiva. Então Ela começa a consumir as pessoas dentro de Si mesma. E quando Ela está consumindo as pessoas, aí vocês veem terremotos, secas, isso e aquilo, todas essas coisas começam a aparecer e as pessoas são engolfadas nesses problemas, pelos quais eles culpam a Mãe Terra. Os seres humanos criaram problemas de natureza agressiva, até mesmo de agressão contra a Mãe Terra, e têm de pagar dividendos por isso. E eles estão pagando.

Totalidade compassiva:

Agora, para parar esse tipo de movimento de agressividade que traz todos os tipos de distúrbios, temos de retroceder e desenvolvermos um sentido de totalidade compassiva. A menos e até que vocês entendam a totalidade, o total, o completo, o inteiro – que é o útero, que é sua Mãe. Enquanto  vocês tentarem ser individualistas, não podem ser bons Sahaja Yogis. Vocês têm de ser unos com o Todo.