15 de outubro de 2013

Anaupaya e Shaktyopaya



Anaupaya/Shambhavopaya e Shaktyopaya

Upaya em sânscrito significa um meio de alcançar, abordagem. Em palestras posteriores Shri Mataji denunciou o uso do termo "Shaktipath" por escolas tântricas.


Trecho da Palestra do Programa Público em Caxton Hall em Londres, Reino Unido, em 26 de novembro de 1979.

Amruta
"Hoje Eu lhes direi como nós alcançamos o Espírito. Há dois tipos de métodos que as pessoas usam para descobrir o Espírito. Um é chamado de Anovupai e o outro é chamado de Shaktopaya. ‘Anu’ significa a molécula. Quando nós estamos perdidos na maya, como Eu lhes disse a última vez,(sabemos) na verdade que o Espírito é eterno, é todo-poderoso, Ele nunca perde Seu poder quer sejamos nós velhos ou jovens, ou em qualquer condição que possamos estar, o Espírito tem o seu próprio poder, o tempo todo. Mas o reflexo do Espírito em nós, a luz do Espírito em nós, depende da qualidade de nosso refletor – como nós somos. E por causa da qualidade ser tão baixa algumas vezes, a escuridão é criada dentro de nós. E nessa escuridão nós não sabemos – às vezes até mesmo a esse ponto – que existe algo além. 

Assim, o primeiro estilo de busca é Anovupai, como vocês o chamam, ou o qual depende da separação de uma molécula depois da outra, porque sob essas circunstâncias, quando vocês estão cercados pela escuridão, vocês veem o Espírito simplesmente como uma molécula ou como uma faísca ou uma centelha; às vezes vocês obtém apenas um [relance?] disso. Como sabem, os pensamentos surgem e desaparecem em nós. Nós vemos os pensamentos aparecendo e desaparecendo. E existem muitos pensamentos a nossa volta. Nossa atenção está nesses pensamentos, o tempo todo.


É muito difícil de achar aquele espaço entre dois pensamentos; é por isso que nós vemos somente uma fagulha – podem chamar assim – ou um pequeno átomo daquele Espírito cintilando às vezes . E então a busca começa entre os seres humanos. Daquela escuridão, a partir da Tamoguna, eles começam a buscar  e a Kriya inicia-se interiormente. Assim nós podemos ver no lado esquerdo o Ida Nadi , no qual vivemos na Tamoguna, desejando por isso e aí nós nos movemos para o lado direito, no Pingala Nadi, no qual agimos. Nessa ação nós tentamos encontrar o Espírito. É claro que primeiro nós pensamos que ao obter certo progresso material, encontraremos esse Espírito, essa faísca. E então vamos para o avanço material.

Agora, o progresso material é muito diferente do espiritual. Ou podemos dizer que o acontecimento material que nós vemos, por exemplo, como um avião aterrissando ou decolando ou uma colisão entre dois trens ou qualquer desses acontecimentos estão do lado de fora e o acontecimento espiritual é do lado de dentro. Nossa atenção é sempre atraída na direção de acontecimentos externos. E é uma impossibilidade levar a atenção para dentro. É por isso que algo tem de acontecer dentro de nós para atrair aquela atenção para dentro. Nós não podemos forçar a nossa atenção para dentro.

Então, as pessoas normalmente tentam  o Anovupai – aquilo que vocês chamam de Ashtang [oito passos] Yoga e outras Yogas, pelas quais eles tentam separar-se do mito, da escuridão, para o qual vocês precisam ser pessoas muito perspicazes, honestas, sinceras. Pessoas muito jovens, inocentes e celibatárias, aquelas que têm de viver na floresta com seus gurus. Assim elas evitam a atenção, que é chamada de Nirodha..., eles impediram a sua atenção de se espalhar; eles concentram a sua atenção com a ajuda de uma alma realizada. 

Se vocês forem para a Índia, encontrarão sábios reais como esses, que vivem no topo de colinas e montanhas, que não estão facilmente disponíveis para as pessoas; eles não vendem a religião deles ou não vendem a Realização deles para as pessoas. Eles vivem lá escondidos da multidão enlouquecida. Um deles contou a alguns sahaja yogis que ele praticou Anovupai por vinte e um mil anos, desde quando ele era só um sapo. É fantástico que ele tenha perseverado por vinte e um mil anos, em cada ano de vida que ele nasceu e ainda assim não pode levantar a Kundalini dos outros muito facilmente.

Realmente eles não tinham o poder de elevar a Kundalini do modo que vocês Sahaja Yogis podem fazer. É muito surpreendente. Ele deu a Realização para apenas uma pessoa, apenas uma – em vinte e cinco anos ele trabalhou com ele pelo mesmo método Anovupai. Essas são pessoas que são desapegadas com ragas*. Não que vocês tenham de fugir de algum lugar, mas somente na sociedade vocês podem atingir isso através da nossa Sahaja Yoga ou Mahayoga. Isso é Shaktopaya."
*‘raaga’ significa qualquer apego, que é completamente desapegada na vida, que pode subir a Kundalini


Trecho da Palestra do Puja de Shri Guru no ashram de Dollis Hill em Londres, Reino Unido em 02 de dezembro de 1979 
Soundcloud
Amruta

"No outro dia Eu falei-lhes sobre shambhavopaya e a shaktopaya. Esses são dois métodos de...Um é para purificar as pessoas – muito poucas – vocês pegam um punhado delas e vão em frente purificando-as, assim a chitta (atenção) delas é completamente purificada, todos os cinco elementos são purificados e...então a Kundalini sobe e as pessoas recebem a Realização. Isso é chamado de Shambhavopaya, na qual sua personalidade é completamente purificada. A outra é Shaktopaya, onde há a Shakti, a qual faz a sua Kundalini subir, seja qual for a situação, e então cuidam da purificação. Assim, em nossa Sahaja Yoga, nós usamos a segunda parte porque não há tempo para Shambhavopaya. Seria impossível fazê-lo.

Assim na Shaktopaya, normalmente as pessoas …o que nós fazemos é Shaktipath, é fazer o poder delas,que é a Shakti, incidir sobre outra pessoa, como um reflexo. Ou, como nós dizemos: “a luz está caindo sobre nós”. Assim, eles deixam o poder delas, ou o poder da Kundalini delas, incidir sobre o poder da Kundalini dos outros e então gradualmente elevá-La. Mas para isso, do jeito que os seres humanos são, eles têm seus métodos muito trabalhosos para isso também. É que eles primeiro escolherão qual é o problema da Kundalini.

Assim eles repassam toda a sua história, descobrem que tipo de pais vocês tiveram e isso e aquilo, que tipos de sonhos vocês têm; eles analisam-lhes completamente. E então descobrem também que tipos de doenças vocês podem ter tido. Por exemplo, aqueles que tiveram, digamos, problemas nos olhos, ou problemas com o nariz, com a garganta, ou estômago e todos os tipos de coisas, são evitados. Então vocês podem imaginar quantos de nós poderiam se encaixar naquela categoria. E..então eles iriam também descobrir que tipo de vida eles levaram e que tipos de pais tiveram. Foi feito principalmente também com pessoas que, numa idade muito jovem na verdade, foram para os Gurus e pediram por essa coisa Shaakta – Nishaktipath.

Agora, por Minha causa, isso tornou-se muito simples, como vocês sabem, é a Shaktipath, e o que vocês tem de fazer agora é Shaktipath, significa lançar a sua luz nos outros. ‘Shakti’ é poder e ‘path’ significa fazer isso cair. Assim, sua Shakti pode agora cair na Kundalini de alguém e Ela pode subir. Isso foi uma coisa muito, muito difícil. Eles disseram que apenas uma pessoa, que é um ‘Veetaraga’, aquela que conquistou toda sua ‘raga’ – ‘raaga’ significa qualquer apego,todos os apegos que alguém dominou, é sem qualquer apego, é completamente desapegada na vida, que pode subir a Kundalini. Assim primeiro de tudo, deve ser dada a ‘Deeksha’, que é a iniciação, que vocês já receberam. No dia que vocês vieram a Mim, receberam Deeksha. Vocês não percebem isso...”



Trecho da Palestra do Programa Público em Caxton Hall, Londres, Reino Unido em 23 de junho de 1980.

Amruta1 ou Amruta2

“O problema é que quando a Kundalini sobe Ela oferece dois tipos de experiências. Uma é chamada de Shambhavi e a outra é chamada de Shakti. Shambhavi é o sentimento de Shambhu, de Shiva no coração; significa Deus Todo-Poderoso. Mas a outra é Shakti. Agora com as pessoas ocidentais é a outra, porque vocês conhecem os seus problemas. Vocês usaram seus poderes para todos os tipos de divagações em seus esforços mentais.Tudo se estabilizará. Tudo bem, vamos discutir a Realização. O que nós iremos discutir? Vamos discutir sobre a Realização? Vocês receberam a Realização através de discussões?


Vocês têm de meditar; vocês têm de ir para dentro de si. Vejam o seu crescimento, elaborem isso interiormente. Vocês não podem falar sobre isso, não podem discutir sobre isso, não podem argumentar sobre isso. É interior. Por causa dessas divagações nós subimos ao nível da Shakti. Mas e o de Shambhu? Nós não alcançamos. Mas no oriente onde as pessoas não são tão inteligentes ou não são tão bem educadas e sofisticadas, Eu diria pessoas simples, essas simplesmente vão lá e apenas regozijam .

Se vocês mostram-lhes algum livro, escrito sobre a Sahaja Yoga, por exemplo [tal?] livro. Eles dirão: “Mãe, nós não queremos ler esse livro, nós não entendemos”. Eles apenas disseram que estão lá agora, o que há lá agora? Está fluindo através de seu corpo, todas as coisas que sabemos estão lá. Por que nós deveríamos nos preocupar com essas coisas e todas as controvérsias, dogmas e o que são as igrejas? Eu lhes disse  porque elas falharam e porque essa religião falhou? Quem está preocupado? Assim esses problemas surgem ".’