21 de abril de 2014

Jesus, o Agnya e o Sahasrara


Trecho do discurso realizado no Puja de Páscoa em Istambul, Turquia, em 22 de abril de 2001.

“Ele (Jesus) veio antes da Sahaja Yoga. Se ele não tivesse feito aquele trabalho, teria sido difícil para Mim alcançá-lo. Assim, Ele preparou o palco para a Sahaja Yoga. Agora os seus Agnyas estão abertos, e através Dele vocês podem levar a Kundalini para cima através do Sahasrara e abrirem a área do osso da fontanela. Ele pensou em tudo isso como parte integrante de Seu amor pelas pessoas. E isso foi o que Ele fez e Ele cuidou de tantas pessoas, Ele é uma ajuda tão grande na Sahaja Yoga. Sem Ele, não sei como Eu realmente teria ultrapassado o Agnya Chakra. 

Porque, como sabem, o Agnya é uma coisa horrível. As pessoas continuam a fazer coisas erradas por intermédio de seu Agnya e  nunca se sentem mal a esse respeito. Nunca pensam que fizeram algo errado, que prejudicaram alguém, torturaram alguém ou fizeram os outros chorar. Elas continuam com seus Agnyas, mas não têm coração para sentirem o que foram capazes de fazer. É apenas Cristo que nos mostra que abrimos o Agnya, passamos através dele. 

Aqui eles o chamam de 'Terceiro Olho'. Outro dia uma senhora veio com uma publicação chamada 'O Terceiro Olho' e quando Eu lhe disse o que era isso, ela ficou surpresa. Se o seu Terceiro Olho deve ser aberto, isso significa que Cristo deve ser despertado dentro de vocês, em seu Agnya. Esse é o Terceiro Olho. 

Agora, o que Ele faz é criar um estado de testemunha dentro de vocês. Vocês se tornam uma testemunha de todo o drama. Vocês começam a ver o drama completo e ficam impressionados como estão silenciosos, conscientes sem pensamentos e como veem a tudo sem reagir. Aqui no nosso Agnya é onde vocês têm de acreditar que Cristo assumiu a Sua forma. O nascimento Dele está lá, Sua ressurreição está lá, tudo o que nós obtivemos, já funcionou, como uma máquina. A coisa toda foi feita e nós temos diferentes chakras e centros. 

Este é o último centro mais dificil, o qual foi realmente aberto por Jesus Cristo. Ele é Aquele que teve a ousadia para isso e o fez tão belamente que agora nós temos também a capacidade de olhar o nosso ego, de enxergar a nós mesmos, o que estamos fazendo, porque nós pensamos que somos alguma coisa muito excepcional.”