16 de julho de 2009

Ritualismo

Antes de tudo, nós devemos ver como os nossos condicionamentos dominam a nossa inocência. Isso os torna extremamente ritualísticos. Mesmo na Sahaja Yoga, Eu tenho visto, e Eu tenho escutado também, que as pessoas são extremamente, extremamente ritualísticas. O ritualismo é assim: vocês devem dizer algo três vezes, vocês dizem três vezes, [depois] sete vezes como pessoas condicionadas. Eu tenho visto alguns Sahaja Yogis desse tipo. [...]

Uma pessoa deve compreender a diferença entre um protocolo e o ritualismo. Uma criança inocente sabe o protocolo. [...] Assim, para as crianças, vejam, crianças inocentes, a veneração e todas essas coisas não são ritualísticas. Isso é feito de coração. Vocês sentem isso no coração: como venerar, como mostrar o seu amor. É muito doce a maneira como uma pessoa inocente faz isso, enquanto que uma pessoa que é muito ritualística pode até mesmo agredir outra pessoa dizendo “Por que você fez isto? Você não deveria ter colocado cânfora nisto! Por que você colocou cânfora, então? Isso está muito errado.” Não há nada errado. Se vocês fizerem isso com o seu coração, com o seu coração aberto, inocentemente, qualquer coisa estará correta. É necessário ter o coração aberto e não o coração fechado. “Por que você fez isso? Por que você não fez isso? Onde você se sentou? O que aconteceu?” Nada.

Agora vocês estão no Reino de Deus, e aqui não existem essas regras e normas para que vocês devam ser ritualísticos.
(S. S. Shri Mataji Nirmala Devi, trechos do Shri Ganesha Puja 1993)

Quietude interior, paz interior, isso é muito importante. Se existe paz, vocês irão crescer. Não existe outro caminho. Mas vejam, todo esse ritualismo, algumas vezes dando bandhan todo o tempo, ou elevando a Kundalini todo o tempo, e as pessoas até mesmo gostariam de ver se a mesa tem vibrações. Isso está indo muito longe. Não há necessidade de fazer toda essa bobagem. A Sahaja Yoga é bom senso, não é insensatez.
(Palestra em Armonk, New York, 27/7/88)

Não é necessário ter esse ritualismo, esse tipo de conversa incoerente. Oh, todo o tempo vocês entram nisso. Todos os dias, de manhã à noite, essas coisas sem sentido, e as pessoas se tornam fanáticas. Elas começam a se tornar absolutamente fanáticas sobre Sahaja Yoga e esse fanatismo pode ser muito perigoso, porque elas tentam se lembrar de tudo de memória, e isso, e aquilo. Não, isso não é necessário.
(Shri Adi Shakti Puja 1995)

Vocês devem saber quem vocês são. Primeiramente, façam introspecção. E conforme o necessário, vocês devem trabalhar (os bloqueios), mas esse ritualismo todo o tempo não é permitido na Sahaja Yoga.
(Puja de Natal, 1997)