16 de maio de 2010

Senhor Shiva

Conselhos dados por S.S. Shri Mataji Nirmala Devi

O Deus Shiva é existência. E essa é a primeira forma que surge em todas essas formas. Assim como a semente revela-se em uma árvore completa e se torna a semente, no ponto de dissolução isso finalmente também se torna Shiva. É por isso que Ele é conhecido como Shiva, que significa a forma permanente. Ele não assume nenhuma forma. Não encarna. É a testemunha que observa. Esse é o aspecto de Deus. Assim, vocês têm três aspectos de Deus. O primeiro é Shiva, o qual é existência, o segundo é o criador, que é Brahmadeva e o terceiro (aspecto) é Vishnu, que é a sustentação, que evolui, que dá o movimento evolucionário, que encarna, que encarnou dez vezes.

(Trecho da Palestra sobre Chakras e Divindades, Delhi, 22/02/1977)

Assim, Eu gostaria de dar a vocês uma pequena idéia sobre esse quadro que temos na nossa frente. Agora quem nós chamamos de Deus Todo-Poderoso, Aquele que é eterno, que não encarna, que está o tempo todo lá observando o jogo de Seu poder, a Mãe Primordial, é manifestado através do poder Dela nesses três aspectos aqui, claramente, dentro de nós e dentro do Ser Primordial que é supremo, o qual todas as pessoas criadas têm de alcançar. Agora há uma diferença entre os dois, o Todo-Poderoso – Deus, como vocês O chamam, Aquele que nunca encarna e Aquele que encarna nesta terra e ocupa uma posição como essa, igual a um ser humano, e Ele é chamado de Ser Primordial ou você pode dizer de Virata. Você pode chamá-Lo de Virata.

Na verdade, embora Ele seja chamado de Ser Primordial, Ele é um aspecto de Deus. Assim há duas coisas que se vocês entenderem, Eu serei capaz de lhes explicar como os aspectos de Deus são expressados em nós.

Assim, o primeiro aspecto de Deus é o desejo de criar, Seu desejo de criar e em Seu desejo de criar. [...] Assim, Seu desejo de manifestar, Seu desejo de criar, esse é o aspecto dentro de nós que é representado por essa linha azul que é chamada de Adi Ida Nadi, ou você pode chamá-la de canal Ida primordial, pelo qual Ele deseja. Agora assim como o desejo pode nascer e pode acabar, pode ser desligado, do mesmo modo, Seu desejo de criar também pode acabar. Seu desejo de criar mais pode ter terminado. Seu desejo de não mais criar por enquanto pode estar lá. Assim, se você entende seus desejos, você pode entender o desejo Dele também de criar e é por isso que quando Ele não deseja mais ter isso, a criação, Ele pode destruir.

Assim, Ele é Aquele através de quem nós existimos e através de quem nós somos destruídos também. Assim, Ele é Aquele que manifesta a existência e a destruição da criação. É por isso que Ele é chamado de Destruidor. Esse aspecto é representado pelo princípio de Shiva, o qual nunca encarna porque esse princípio é aquele que é o germe, que é o começo e o fim de tudo. Assim como uma semente se torna por fim uma semente, da mesma forma esse Shiva Tattwa, Princípio de Shiva, germina, cria e então novamente se torna o mesmo princípio. É por isso que o princípio de Shiva nunca muda. É chamado de Shiva, significa que é permanente, é eterno.

(Trechos da Palestra “Como Aspectos de Deus são experimentados dentro de nós", Caxton Hall, Londres, 11/06/1979)