9 de julho de 2010

Buddha e o Desejo

Hoje nós nos reunimos aqui para fazer um puja a Buddha. Como vocês sabem, Buddha era filho de um rei. E um dia Ele ficou chocado ao ver um homem muito pobre, magro, andando na rua, uma pessoa muito infeliz, e Ele se sentiu muito triste com isso. Depois, Ele viu uma pessoa que estava muito doente e prestes a morrer; em seguida, Ele viu um homem morto e as pessoas estavam levando-o para o terreno de cremação. Isso tudo O incomodou muito e Ele começou a pensar sobre isso e buscar a razão de todos esses acontecimentos nos seres humanos. Primeiramente, por que eles se tornam tão infelizes ou doentes? Ou por que eles morrem assim tão miseravelmente? A razão disso Ele descobriu em sua busca. Ele andou por todo mundo, Eu diria, no sentido de que Ele leu os Upanishads, ele foi a muitos gurus, foi a muitos lugares de educação espiritual, Benares, a todo lugar Ele foi. E finalmente, Ele estava sentado sob um árvore banyan quando subitamente a Kundalini Dele foi despertada pela Adi Shakti, e Ele obteve Sua realização; então Ele se deu conta de que a razão daquilo tudo é o desejo.

Na Sahaja Yoga, nós compreendemos agora que todos os outros desejos não são desejos puros. Primeiramente, qualquer que seja o desejo realizado, nós não ficamos satisfeitos com ele, em primeiro lugar. Em segundo, todos os desejos tem uma repercussão. Assim, o que é o desejo puro? Isso, todos vocês sabem, é a Kundalini. A Kundalini é o poder do desejo puro, que realiza o puro desejo de vocês de ser o espírito, de ser Buddha, de ser iluminado. Budha significa uma pessoa que é iluminada. Assim Gautama tornou-se Buddha… tornou-se Buddha, assim como vocês tornaram-se agora Sahaja Yogis. Mas como Ele passou por todas essas penitências, seja o que for que Ele tenha aprendido tornou-se uma parte integrante Dele – mas na Sahaja Yoga é tudo sahaj. Assim nós concluímos sempre que tudo, “Isso é sahaj, afinal.” E quando nós tentamos resolver alguma coisa, nós sempre dizemos “Ah, isso se resolverá espontaneamente. Tudo bem, a Mãe vai resolver para nós e tudo.” Essa é uma falha comum na Sahaja Yoga.

Assim, fazer todos vocês passarem por esse longo processo ou dar a vocês a Realização foi um dilema para mim. A razão, nesses dias de confusão, é que não pode haver muito tempo para fazer vocês passarem por tudo aquilo que Buddha passou, e Ele era um indivíduo, Eu teria de fazer isso com todos vocês. Isso seria muito difícil. Eu não sei quantos sustentariam isso. A maioria deles teria desistido no meio do caminho, ou talvez em um quarto do caminho. Assim, isso foi feito de uma maneira sahaj – vocês não tiveram de sentar-se sob um árvore banyan – finalmente vocês obtiveram sua Realização. Sua Kundalini foi despertada e vocês obtiveram a iluminação. Mas aquela iluminação, a qual estabeleceu-se em Buddha, não está estabelecida em nós porque nossos chakras não estão purificados assim como Ele purificou Seus chakras. Nós temos o mesmo corpo, a mesma mente e a mesma atitude de quando nós obtivemos a Realização. Assim, nós estávamos olhando a Casa de Deus, simplesmente olhando a Casa de Deus, mas vocês entraram na casa e vocês têm de olhar para fora pelas janelas, vocês se esquecem disso. E embora nós estejamos sentados agora no topo de uma colina, fora de todos os congestionamentos e de todo o tráfego, quando você vê um carro, ainda assim você sente medo. Você não sabe que você está sentado no topo de uma colina onde sua Mãe o colocou gentilmente, e é assim que você tenta se comportar...

Buddha, como vocês sabem, está trabalhando em seu lado direito, no seu Agnya. É muito surpreendente que uma divindade como Ele trabalhe no lado direito. Primeiro Ele disse que, para o lado direito, você deve ser desapegado, sem desejo. Eu creio que ninguém trabalharia se não tivesse desejo e eles não teriam como ganhar alguma coisa, Eu creio, no sentido normal. Mas você tem de trabalhar na forma sem desejo. Então aí o lado direito pode ser conquistado – muito simbólico. Normalmente as pessoas do lado direito são extremamente magras, mas Buddha era muito gordo. Normalmente as pessoas do lado direito são extremamente sérias, muito sérias, mesmo se você fizer cócegas nelas, elas não rirão. Mas Buddha está rindo todo o tempo com as duas mãos assim, regozijando a si mesmo. Veja o contraste. Assim, quando você está trabalhando sem desejo, somente então esse estado pode ser alcançado, no qual você estará o tempo todo rindo... (mas) assim como você fica mais sutil, os desejos começam a ficar cada vez mais sutis. E se você não é cuidadoso, isso simplesmente emerge. …

Quando você é sem desejos, você é feliz, porque você nunca fica decepcionado, nunca fica nervoso. Assim, ser sem desejos não significa que você se torna algo absurdo ou ascético ou qualquer coisa assim, mas é não ter expectativa de nada.

S.S. Shri Mataji Nirmala Devi, trecho do Puja de Shri Buddha, Bélgica, 04/08/1991