5 de agosto de 2011

Shri Lakshmi

Shri Lakshmi 
Uma Visão Tradicional da Divindade


1. O Significado do Nome de Shri Lakshmi

O termo ‘lakshmi’ é derivado da palavra ‘lakshma’ que significa marca/sinal/símbolo. A palavra ‘Shri’ designa a essência da auspiciosidade e da prosperidade. Logo, Shri Lakshmi pode significar,  essencialmente, ‘um sinal de auspiciosidade’.

As origens de Shri Lakshmi podem ser detectadas no Rig Veda, ainda que a existência de uma ‘Deusa da Fertilidade’ pode ser encontrada mesmo antes dos Vedas, ou seja, no período pré-ariano.

No Rig Veda, Shri e Lakshmi são originalmente duas deusas separadas e são assim reconhecidas no Shri Sukta (quinze versos anexados à coletânea regular dos hinos do Khila Sukta), o quinto livro do Rig Veda. Todavia, mesmo antes desse reconhecimento,  conceito de Shri é mencionado no Rig Veda em muitas passagens. Ele é usado em combinação com outras divindades e refere-se aos poderes específicos e qualidades meritórias dessas divindades. Por exemplo, o ‘Shri’ de Agni refere-se a sua glória e ao seu poder de propiciar as oblações rituais para os deuses. As referências feitas ao deus Indra,  às quais adiciona-se Shri, indicam a sua conquista da glória, da grandiosidade, da importância e da preeminência dele em relação aos outros deuses.


O termo ‘shri’ é também adicionado como sufixo a muitas expressões, a fim de denotar inteireza ou poder. Por exemplo, ‘Yagnashri’ refere-se ao poder do ritual de sacrifício.

O uso do termo ‘shri’ nesse contexto mais recente é importante porque ele revela a natureza esotérica de Shri Lakshmi. Como personificação do Shri, Ela representa uma certa qualidade ou característica de ‘grandeza’ que está alem do mundo profano e pertence mais ao reino do Absoluto.

Nos primórdios do Rig Veda, Lakshmi era associada à fertilidade, ao crescimento e à colheita. Era considerada também a Deusa do Trigo. Na cultura védica, a maior parte da população era composta de agricultores e, por isso, a ‘prosperidade’ era avaliada, essencialmente, em termos da abundância das safras. Logo, no tempo do Shri Sukta, Shri tornou-se uma divindade e a conexão dela com Lakshmi tornou-se cada vez mais forte, dado que ambas estavam associadas às mesmas funções e características. Por exemplo, no Shri Sukta, ambas são descritas como sendo resplandecentes e radiantes e são invocadas para se ter prosperidade.

Shri e Lakshmi foram então gradativamente se fusionando numa só divindade durante a época dos Upanishads e durante o tempo dos Puranas. A partir daí, Shri Lakshmi estabeleceu-se firmemente como a deusa da riqueza, prosperidade, fertilidade e beleza.

2. Peculiaridades e atributos de Shri Lakshmi
    
Shri Lakshmi traz uma ambiência de harmonia, bem-estar, auspiciosidade, beleza e riqueza para todos aqueles que A invocam. Ela é a Deusa-Mãe que dá, simultaneamente, compaixão, perdão, proteção e compreensão. A benevolência de Shri Lakshmi perpassa os reinos divino e humano. Ela encoraja os Seus devotos a usufruir das riquezas do mundo material e da bem-aventurança espiritual do Absoluto.
   
A essência divina de Shri Lakshmi é transmitida pela flor de lótus que sempre A acompanha. Na lama da Terra, as águas da criação manifestam o seu poder de gerar a vida. O solo rico sustenta a flor, oferecendo os ingredientes para a prosperidade e a riqueza no mundo material.
   
Shri Lakshmi concede a seiva da existência para todos os seres, a qual permeia toda a vida animal e vegetal. A vida orgânica é estimulada pelo Seu poder misterioso, manifestando-se rica e belamente na relatividade do mundo material.
   
Ela concede prosperidade, fama e glória para os reis e seus reinos. Para o indivíduo no mundo relativo, Shri Lakshmi representa a auspiciosidade, a riqueza, a beleza e a prosperidade.
   
Os hindus invocam Shri Lakshmi a fim de assegurar a saúde física, o bem-estar e a harmonia em seus lares.
   
A flor de lótus implantada firmemente na lama floresce acima da água, num estado muito puro, eis que utiliza o solo rico em busca de um estado de pureza transcendental.
   
Shri Lakshmi fica de pé ou se senta sobre uma flor de lótus representando a perfeição espiritual e autoridade proveniente de seu lado transcendental.
   
Não é fácil satisfazer as exigências desse poder encantador de Shri Lakshmi ou manter a Sua presença. As exigências de Shri Lakshmi (ou Mahalakshmi) referem-se à existência de harmonia e beleza da mente e da alma. A harmonia e a beleza devem estar presentes em todos os movimentos e atos exteriores das pessoas, bem como em sua vida como um todo.
   
Na Índia, tradicionalmente, Shri Lakshmi é venerada de várias formas, dependendo do aspecto de abundância que se quer enfatizar. Dentre outras formas, Lakshmi é venerada como: Santhanalakshmi representando a riqueza de descendentes; Gajalakshmi, a riqueza de animais; Dhanalakshmi, a riqueza de ouro e outras riquezas materiais; Dhaanyalakshmi, a riqueza de grãos alimentícios; Viralakshmi, a riqueza de bravura e valor; Vijayalakshmi, a riqueza de vitórias e de sucessos.

3. Shri Lakshmi e Shri Vishnu: O Papel da Mulher

Há muitos mitos que representam o relacionamento entre Vishnu e Lakshmi.

3.1 - O mito da companheira, a filha
Segundo esse mito, Lakshmi é geralmente conhecida como uma ‘Deusa Esposa’, dado que seu papel como esposa de Vishnu define a sua natureza. Na encarnação de Vishnu como Rama, ela também encarnou como sua esposa Sita. Eles estão sempre juntos de alguma forma e raramente ela é adorada como uma divindade individual.

Numa das versões do mito da criação, Lakshmi surge do mar primordial como um presente ou uma jóia para Vishnu. Segundo esse mito, ela foi criada apenas para agradar Vishnu e representa a obediência e a devoção de uma jovem mulher.

3.2 – O mito da esposa (do Vishnu Purana)

Esse texto descreve o relacionamento de Vishnu e Lakshmi da seguinte forma:
Lakshmi, a esposa de Vishnu, é eterna e imperecível. Da mesma forma que Vishnu, ela é onipresente e tudo permeia. Vishnu é o significado e Lakshmi é a fala; ele é a política, ela a prudência; ele a compreensão, ela o intelecto; ele é o Dharma, ela é a boa ação; ele o criador, ela é a criação. Lakshmi é a Terra e Vishnu é a sustentação do espaço infinito… Vishnu é o Sol e Lakshmi desse Sol, como a deusa que se senta sobre a flor de lótus. Lakshmi é a prosperidade e Vishnu é o senhor das riquezas… Lakshmi é a luz e Vishnu a lâmpada. Ela é a noite, ele é o dia. Ele é a masculinidade e ela é a feminilidade.

Ela assumiu o papel de uma esposa perfeita em seu relacionamento com Vishnu.
Na época em que esse texto foi escrito, Lakshmi ainda era chamada de Shri por muitos, mas a transformação estava, evidentemente, em processo na medida em que ela foi sendo identificada como a Shakti de Vishnu, ou seja, a fornecedora da energia criativa, da potência e do poder para Vishnu, conforme se verá no mito seguinte.


3.3 – O mito da Shakti, a Mãe; o mito da Devi, uma velha senhora sábia

Num dos mitos que enfatiza a importância de Lakshmi para a criação, ela é representada adorando os pés de Vishnu enquanto este se reclina sobre Ananta, a serpente cósmica, antes da criação do mundo.

Em outro mito, Vishnu aparece da seguinte forma: ele olha para a face de Lakshmi, prestando atenção aos desejos dela. Vishnu cria, destrói e protege os mundos. Ele faz o céu e o inferno, e o estado mais elevado. Unido a Lakshmi, ele cria tudo. Isso porque, sem Lakshmi, esse jogo da criação não traz nenhuma alegria para Vishnu.

Esses últimos textos mostram um desenvolvimento posterior no relacionamento entre Vishnu e Lakshmi. Foi se tornando evidente que Lakshmi e seus poderes haviam se tornado componentes indispensáveis para o trabalho de criação do mundo empreendido por Vishnu. A partir daí, ela assumiu o papel de Shakti de Vishnu, ou sua energia criativa.

Como Shakti de Vishnu, Lakshmi acompanhou-o em todas as suas encarnações na Terra (Avatares). Ela foi a Senhora do Lótus (Padma ou Kamala) quando Vishnu encarnou-se como um anão (Vamana). Ela foi a Terra (Dharani), quando Vishnu encarnou-se como Parashurama (Rama com o machado). Para ser esposa de Rama, Lakshmi apareceu num ‘sulco’ feito na terra por um arado e foi chamada de Sita. Quando Vishnu veio como Vithala (Krishna), ela veio como Rukmini.

Em outros textos, Lakshmi adquire os atributos de uma Suprema Deusa-Mãe/Inteligência Divina, conhecida como Devi ou Durga. Ela foi adorada em muitas tradições místicas indianas, como a mãe de Vishnu em função do Dharma. O status de mãe é poderoso, dado que ela ganhou poder sobre a geração da vida.
Nesses mitos, Lakshmi expressa sempre o seu poder interior e a natureza explosiva de sua força positiva, quer como Shakti de Vishnu, quer como Mãe de Vishnu. 


Fonte : Apostila do Nabhi da Sahaja Yoga