4 de janeiro de 2012

O Subdesenvolvimento Espiritual




Trecho de Palestra de S.S.Shri Mataji Nirmala Devi em Nova Delhi, fevereiro de 1983, Nirmala Yoga nr. 29 

Um Sahaja Yogi  fez à Mãe a seguinte pergunta:
"Mãe, hoje nós gostaríamos que a senhora nos falasse sobre a diferença de objetivos e de aspirações entre a Índia e os países desenvolvidos, a maneira como a história os abordou e também o que é que eles têm para oferecer um ao outro."

Shri Mataji : Aparentemente, a Índia tem os mesmos objetivos que os que vocês tiveram até aqui. Os indianos estão tentando de fato seguir os países ocidentais, mas apenas aparentemente. Nos nossos sistemas políticos e em nosso desenvolvimento econômico, nós tentamos seguir os caminhos pelos quais vocês passaram ou nos quais vocês falharam. Em nossa abordagem da educação, nós tentamos seguí-los. Em nosso desenvolvimento mental também,  estamos tentando seguir o Ocidente. Mesmo os jovens deste país tentam agora seguí-los e copiá-los, em todas as coisas. Também  - aparentemente - tal é a situação deste país. O que quer que vocês tenham feito, poderíamos dizer há vinte anos atrás, nós fazemos a mesma coisa agora. E nós estamos chegando a um estado no qual a decadência acontecerá em breve.


No entanto, por Mim mesma, é totalmente o contrário. Eu pude ver, há muito tempo, o futuro dos desastres do desenvolvimento industrial, e também para onde estão indo essas pessoas que estão seguindo cegamente o Ocidente. Também, Minha própria busca levou-Me a ir até as raízes, em direção ao Espírito, em direção ao lado sutil da vida, o qual, em última análise, sustentará a raça humana.

Agora, vocês ficarão surpresos se vocês forem a uma universidade indiana, porque vocês encontrarão apenas quatro ou cinco pessoas dispostas a Me ouvir. O que quer que vocês estejam fazendo, como o jazz, ou ainda esse negócio de discotecas, de hippies, tudo isso é largamente difundido e seguido em nossas cidades. Assim sendo, não  podemos  dizer que a Índia está voltada para o Espírito, pois isso é uma idéia errônea. Todos os nossos líderes, todos os nossos burocratas, todos eles pensam que vocês, ocidentais, são as pessoas mais felizes em todo o universo. Todos eles estão seguindo cegamente os métodos de
vocês e vão para o exterior a fim de aprender com vocês a maneira pela qual vocês produziram tantas coisas desastrosas. E se Eu digo isso a eles, eles acham que Eu sou uma pessoa retrógrada, e que se Eu falo isso é porque, simplesmente, não tenho nada na cabeça.

Assim, aparentemente, na Índia, hoje, nós não estamos pensando em salvar o mundo, mas estamos apenas seguindo o mundo em seu mergulho no desastre. Todos os países em vias de desenvolvimento estão juntos nessa atitude. Temos duas espécies de países: os desenvolvidos e os subdesenvolvidos. Essas etiquetas foram coladas em nós pelo Ocidente que afirma que nós não somos desenvolvidos, então nós devemos nos desenvolver, porque se eles tiverem sua cauda cortada, nós também devemos ter a nossa cortada. E eles, os ocidentais, nos mandam dinheiro para que cortemos a nossa cauda.

Assim, o desenvolvimento que eles tentam impor em nos dando dinheiro, quase sempre nos humilha (porque eles fazem todos os tipos de coisas para tentar nos desenvolver). É claro que a pobreza é uma ameaça para a prosperidade em qualquer lugar, mas se as pessoas estão vivendo bem ou estão tendo Kshema, então há uma grande diferença. O quadro geral que Eu vi do Ocidente é cheio de infelicidade, de escuridão, de condicionamentos para a falta de esperança. Pelo menos nos países em desenvolvimento temos algumas esperanças que podem até ser de desastres, mas são esperanças.

Dado que vocês fazem parte do sistema, é fácil para vocês compreenderem que vocês terão que enfrentar um grande choque. Agora, no Ocidente, o que quer que vocês façam, em virtude da orientação para o ego, os dirigentes de seus países se recusam a admitir que a situação de vocês é desastrosa. Os sistemas políticos ocidentais não irão admitir que vocês não estão bem, porque vocês se prejudicaram muito. É demais para eles,  os políticos ocidentais, admitir que praticaram tantos erros, porque eles não podem engolir essa afronta. Em vista de tais circunstâncias, quem poderá convencer os indianos de que seria melhor para eles trilhar um outro caminho?

O erro do Ocidente consiste em que lá as pessoas não estão jamais preocupadas com o seu Espírito. Os ocidentais negligenciam tudo aquilo que é o Espírito, tudo aquilo que se refere à vida sutil, e eles acharam que a melhor coisa a ser feita seria dominar a matéria, e controlar todas essas coisas que eles acham que podem controlar.

Ontem, na Minha palestra em hindi, Eu disse que tudo aquilo que vocês podem controlar é inferior a vocês, não podendo por isso, ser superior ou mais elevado do que vocês. Assim sendo, se vocês quiserem ir mais longe, vocês devem ir um pouco mais para cima, vocês devem progredir dando passos em direção aquilo que é mais elevado. O que quer que seja que vocês pensem saber, quaisquer que sejam as coisas que vocês utilizem para realizar o seu objetivo, essas coisas serão sempre inferiores a vocês. Todavia, se vocês quiserem progredir, então vocês terão que ser úteis para aquela meta superior. Vocês devem ser humildes e aceitarem o seguinte princípio:  "Se vocês quiserem ser mais elevados, vocês devem permitir que aquilo que é mais elevado os comande. É melhor  que vocês se submetam a algo mais elevado, ao invés de vocês se contentarem em dominar as coisas inferiores." Não obstante, por causa do ego, essa submissão torna-se uma impossibilidade. Vocês não chegam a uma meta mais elevada, mas pelo contrário e de uma certa maneira, vocês se submetem a uma meta menos elevada, em virtude de vocês serem agora escravos da matéria e terem essa em suas cabeças.

Por outro lado, é verdade que há muitos séculos, a Índia é um país de tradições. Há muitos séculos que levamos uma vida diferente. Desde os tempos antigos,  o clima é tão suave que vocês podem permanecer a céu aberto, e dormir nos bosques. Vocês não têm necessidade de muitas coisas nesse país. Dessa forma, desde eras remotas, há muitas pessoas chamadas de sábias ou santas que se retiraram para uma floresta a fim de descobrirem o fundamento do ser humano, o sentido da vida humana, seu fim último. Essas pessoas descobriram que se tratava do Espírito.

Esses sábios basearam todas as leis indianas, a filosofia, a música, a arte, a dança, o teatro e todos os demais aspectos da vida sobre um único fato de que: "Nós devemos nos tornar o Espírito" No entanto, desde que tivemos a influência ocidental e a educação ocidental nos foi imposta, todas as pessoas decidiram abandonar tudo aquilo que era tradicional e velho  para melhor adotarmos  as novidades que nos eram oferecidas. As coisas tradicionais do nosso país nos
aborreciam verdadeiramente e se tornaram,  cada vez mais,  objeto de estudos acadêmicos, sobre as quais podiam  ser escritos livros,  ganhando-se dinheiro com eles, desenvolverem-se novas idéias, novos projetos, enfim,  poder-se-ia atrair pessoas para esses assuntos. Entretanto, não havia um real interesse nas tradições indianas. Era apenas uma forma superficial de abordar a matéria. E em contrapartida,  foi o tantrismo que foi aceito no Ocidente. Por causa disso,  os ocidentais acham que os indianos são pessoas que se deixam levar pelo tantrismo, o qual na realidade está fora de moda. Por exemplo, se vocês forem ao mar e virem muitas algas na superfície, isso é o que será retido em sua mente e não a profundidade do mar,  de onde vocês poderiam extrair  pérolas.

Concomitantemente ao suposto desenvolvimento do Ocidente, surgiram pessoas horríveis tais como Freud e outros, e vocês acabaram perdendo todas as suas tradições, todas as suas idéias sobre o Espírito, todas as ligações com as fontes das idéias sobre o Espírito, sejam elas do cristianismo ou de outras fontes. Por um lado,  a atitude predominante no Ocidente parece ser a de uma preocupação exagerada com o sexo, sendo que as pessoas querem se transformar em objetos sexuais. Eu acho que isso é um absurdo. Por outro lado, surpreendentemente,  os ocidentais têm a atenção deles  extremamente concentrada no dinheiro, e  são pessoas excessivamente  avarentas e bitoladas  em relação ao Espírito. Apesar de vocês terem todos os tipos de armas, as pessoas estão amedrontadas  e não permitem nem mesmo que uma criança pequena entre em suas casas. Ainda que vocês disponham da bomba atômica e malgrado isso, vocês todos têm medo de tudo. Observem as leis relativas à imigração: elas são muito mais restritivas nos países ocidentais do que nos países orientais.

As nações ricas e poderosas são generosas de uma maneira desgraçada, pois elas são extremamente orientadas para o dinheiro. Ninguém acredita até que ponto os ocidentais chegaram em sua fixação em relação ao dinheiro. Eu mesma fiquei muito surpresa ao constatar isso no Ocidente.

No oriente, as pessoas não são tão obcecadas por dinheiro. Isso constitui uma vantagem para nós, porque Graças a Deus nós não somos "desenvolvidos",  como vocês dizem. É por causa disso que nós não somos tão preocupados com o dinheiro. Porém, quando formos desenvolvidos !  Eu digo isso porque,  na Índia, as pessoas que têm dinheiro são exatamente como vocês. Porém nós temos o costume de fechar os olhos face a esse tipo de comunidade, como a dos Maravedis e outras. Eu acho que no Ocidente a maioria das pessoas é como os Maravedis, pois o estilo de vida delas é comparável ao destes.

Ademais, ao invés  de vocês desenvolverem  as qualidades mais elevadas que estão dentro de vocês, vocês colocaram tudo no exterior, sendo que no interior de vocês não há nenhum desenvolvimento. Tudo não passa de um desenvolvimento exterior apenas. Vocês colocaram sobre vocês mesmos um fardo pesado, vocês criaram inumeráveis regras, por exemplo, este copo é para o vinho, aquele outro é para o aperitivo e somente para isso. Vocês podem Me dizer para que serve tudo isso, qual é o objetivo disso? Eu não posso compreender o sentido de tudo isso. Vocês estão desorientados. Qual é o objetivo de vocês? Eu Mesma Me sinto perdida, porque não consigo encontrar o objetivo de vocês. É, exatamente, como uma espécie de loucura, de demência em querer criar ainda e ainda, cada vez mais. E, como malucos, vocês correm em direção a um desejo, depois em direção a outro, numa corrida sem fim. É tudo assim. Qual é o objetivo de um louco?

...

Assim sendo, as virtudes e a retidão são a base da vida, o escopo da vida. Isso também é colocado em questionamento pelos ocidentais. Todas as metas, todos os objetivos que eles aceitaram são contra a vida, contra Deus e contra os seres humanos.

Por isso, Eu agradeço a Deus pelo fato de não sermos desenvolvidos e por não termos toda essa pressão da matéria sobre nossas cabeças. Assim, nós ainda somos pessoas grandemente abertas à vida interior. Eu posso afirmar que existe dentro de nós um grande espaço de  crescimento. No entanto, no exterior as regras e as normas são demasiadas e todos os tipos de idéias nos vêm ao espírito.