9 de setembro de 2013

A Verdade não é dura



Trecho do discurso da palestra sobre os Três Canais em Caxton Hall, Londres, em 23 de outubro de 1978


Aos 76’

“Se vocês aceitarem algo como verdade e se permanecerem com isso, então é uma coisa errada. Pois o que acontece é que vocês ficam identificados com isto e aí é muito difícil porque estas falsas identificações podem não desaparecer. Vocês devem abandoná-las e só então a verdade surgirá dentro de vocês e a verdade é a coisa que mais dá alegria. Quero dizer que é alegria, a verdade é alegria e isto é a beleza, satchitananda

Não é uma coisa áspera. A verdade não é rude. As pessoas pensam que a verdade significa coisas duras, não, não é. É a coisa mais bela. É a coisa mais delicada, é muito sutil e é algo que mais dá alegria. É a verdade que ao ondular, vocês a veem pulsar, então obtém a alegria. A pulsação da verdade é alegria. Não é rude, é extremamente gentil, compassiva, o amor de Deus é verdade. Eles dizem: “Deus é amor e amor é Deus”, mas as pessoas não entendem o que isto significa."

Shri Mataji descreve claramente esta palestra como Diwali ou pré-Diwali.

“Hoje Eu proferi esta palestra porque após oito dias ou algo assim, no mesmo dia de hoje, segunda-feira, há um Diwali na Índia, onde nós temos realmente uma combinação de quatro coisas e uma delas é este puja de Lakshmi."

...“Porque Eu lhes disse que a  felicidade e a infelicidade andam de mãos dadas. De um lado quando vocês amam seus filhos, está tudo bem. Mas se vocês os amam mais do que o ser coletivo, por exemplo, vejam, digamos que em nosso país ou qualquer país onde as pessoas fariam qualquer coisa por seus filhos, elas sacrificariam o pais inteiro pelos seus filhos. Sob estas circunstâncias  uma pessoa também não pode ser feliz. 


Assim qual é o fator de equilíbrio entre os dois que temos de ver? Qual é a fonte de felicidade que nasce em uma pessoa? Tem de haver algum equilíbrio nisto. E este equilíbrio é o que vocês aprendem em seu dharma, em sua religião, em sua sustentação que é o seu estômago(Nabhi).”